Skip to content

Chegou a hora do Recadastramento INSS em 2020!





O recadastramento do INSS 2020 já começou. Se você é aposentado(a), pensionista ou qualquer outro tipo de beneficiado(a) pela previdência social, você deve atualizar do seu cadastro todos os anos.

O recadastramento é obrigatório desde 2012, e deve ser realizado junto ao banco que faz o pagamento do benefício para você. Essa ação é importante para que você prove perante o INSS e o banco pagador que você está vivo e que é a devida pessoa para receber o benefício.

Essa atividade é como uma prova de vida. O(a) segurado(a) deve mencionar que está vivo e o governo deve saber quem está e quem não está vivo para não pagar benefícios de forma errada.

Se você não fizer o recadastramento, poderá acontecer de você perder o benefício. Então, não deixe de cumprir essa etapa simples frente a toda importância de manter esse benefício em seu nome.




Se você tem dúvidas quanto ao recadastramento de aposentados e pensionistas do INSS, esse artigo poderá te ajudar a esclarecer algumas questões pontuais.

Confira as respostas que demos a algumas perguntas frequentes:

Quem tem que fazer o Recadastramento do INSS 2020?

recadastramento inss idoso

Todos as pessoas seguradas pela previdência social devem fazer o recadastramento do INSS.

Os(as) beneficiários(as), inativos(a)s e pensionistas, sendo civis, universitários(as) ou mesmo militares, morando no Brasil ou no exterior, devem realizar o recadastramento.




Como exemplos:

  • – Aposentados(as) por tempo de serviço;
  • – Aposentados(as) por invalidez;
  • – Segurados(as) pelo Benefício de Prestação Continuada (BPC/LOAS);
  • – Pensionistas.

Se você recebe algum benefício de previdência social cedido pelo INSS, mesmo que indiretamente, você deve realizar a prova de vida anualmente.

Quando começa o Recadastramento do INSS 2020?

Melhor ainda, quando fazer o recadastramento? Pois, não há uma data de recadastramento INSS que determine o início da atividade. Cada banco, que repassa o pagamento, poderá decidir por seu próprio calendário quando o recadastramento começará a ser feito.




Assim acontece porque o calendário de recadastramento do INSS não é o mesmo para todos os segurados. Mas a regra é a mesma: (quase) todos devem fazer o recadastramento antes de completar o prazo de 12 meses desde o recadastramento do ano anterior.

A exceção é para pensionistas universitários(as), que devem fazer o recadastramento a cada seis meses – de janeiro a julho e de agosto a dezembro.

E se você começou a receber o benefício do INSS esse ano? Se você se tornou um(a) segurado(a) pela previdência social em uma data anterior ao mês do seu aniversário, você deverá fazer a prova de vida ainda nesse ano. Já se você se tornou um segurado após a data do seu aniversário, você poderá realizar a tal prova no próximo ano.



Contudo, você tem dois fatores para considerar o momento certo do seu recadastramento: informação e memória. Todo ano, você deve entrar em contato com o banco e se informar sobre o calendário institucional para a atividade. E, procurar realizar tal importância durante o mês do seu aniversário, o que poderá ajudar você a se lembrar da prova de vida, todo ano.

Qual é o prazo máximo?

Para cada segurado, o prazo para recadastramento no INSS é o intervalo de 12 meses desde a última vez que o recadastramento foi feito. Mas, se esse prazo estourar, você deve apresentar a prova de vida o mais rápido possível para não ficar sem o benefício.

No entanto, se não houver prova após 12 meses de atraso, o(a) segurado(a) perderá seus benefícios. Se você for um pensionista universitário, você tem um intervalo de 6 meses para realizar nova prova de vida.

Quais documentos necessários para o Recadastramento?

Para que você faça o recadastramento do INSS em 2020, você deverá ir ao banco pagador. Os documentos exigidos podem variar de acordo com a exigência de cada banco. Verifique com antecedência quais os documentos que o seu banco pagador exige.

Atualmente, o Banco do Brasil exige que sejam apresentados os seguintes documentos:

  • Documento de identificação oficial com fotografia (Carteira de Trabalho, RG, CNH, passaporte);
  • CPF/MF;
  • Comprovante de residência atual, preferencialmente do mesmo mês em que se propõe o recadastramento;
  • Certidão de casamento ou declaração de união estável, caso conviva em companhia de outra pessoa;
  • Termo de Responsabilidade do Representante Legal, caso represente algum(a) menor e/ou incapaz que seja o(a) segurado(a);
  • Cadastro Único (CadÚnico) atualizado, caso seja segurado(a) pelo BPC/LOAS.
  • Declaração de matrícula na universidade e declaração de frequência às aulas do semestre anterior, originais e autenticadas em cartório, caso seja pensionista universitário(a).

Esses documentos devem estar em boas condições para que o beneficiário seja identificado com suficiência.

Como fazer? Veja passo a passo!

Primeiramente, você deve estar com seus documentos em mãos. E, então, você deve ir pessoalmente a uma agência bancária e se apresentar a um dos funcionários. Mencione que deseja fazer o recadastramento do INSS.

O recadastramento do INSS pode ser feito em qualquer agência bancária. Porém,  você deve ir a uma agência do banco que faz a repasse do benefício para você.

Ninguém pode realizar o recadastramento em nome do(a) segurado(a) por meio de uma procuração. Apenas curadores, tutores ou guardiões é que podem fazer isso em nome de terceiros.

Telefone

Se você não puder ir a uma agência do banco pagador, por incapacidade de locomoção por motivo de saúde, você deverá ligar para o número de telefone 135 ou acessar o site Meu INSS.

Tanto pelo telefone quanto pelo site, você poderá agendar uma visita de um(a) servidor(a) do INSS onde você estiver domiciliado(a) para que juntos façam o recadastramento.

A visita agendada poderá ser em sua casa, no hospital ou em uma casa de repouso. Porém, o agendamento deve ser feito um mês antes do mês de seu aniversário, para que dê tempo útil aos funcionários com uma agenda lotada.

Para isso, acesse o site MEU INSS (https://www.inss.gov.br/servicos-do-inss/meu-inss/), clicar em Inscrever no INSS, preencher um formulário com os seus dados básicos de identificação e, então, agendar uma data para a visita do(a) servidor(a) em Agendamentos.

Se você for fazer o recadastramento do benefício LOAS do BPC, você deve ir a um Centro de Referência de Assistência Social (Cras) de sua cidade, não precisa ir ao banco.

recadastramento do benefício LOAS do BPC

Se você estiver residindo fora do Brasil, para realizar o recadastramento do INSS no exterior, você deverá procurar a Embaixada do Brasil. E, solicitar uma Declaração de Vida, Estado Civil e Residência para encaminhar ao INSS de acordo com as informações contidas no formulário específico.

Esse formulário está disponível em: (http://sa.previdencia.gov.br/site/2019/10/2019.10.04_Atestado-de-vida-formulario-cpf-final-INSS.pdf).]

Recadastramento INSS online

Para além de toda burocracia, já é possível realizar o recadastramento INSS online por meio do aplicativo celular MEU INSS – disponível em Google Play (https://play.google.com/store/apps/details?id=br.gov.dataprev.meuinss&hl=pt_BR) e App Store (https://apps.apple.com/br/app/meu-inss/id1243048358).

Baixe o app e realize seu cadastro. Você poderá realizar a prova de vida por biometria e, ainda, encontrar informações quanto aos seus benefícios do INSS. Contudo, não é nada complexo. Basta que você se comprometa a não perder os prazos.

Atualizar seu recadastramento do INSS todo ano garante que você cumpra com a sua responsabilidade de prova de vida perante a fonte pagadora do benefício e não corra o risco de ficar sem seu benéfico.

Esperamos que este artigo tenha ajudado você. Compartilhe com seus amigos.

Mais informações no vídeo:



Compartilhar: